• Telefone0 XX 51 9509.4555
  • Email atendimento@ihu.org.br
  1. BRASIL-POST SEMANÁRIO BRASILEIRO

BRASIL-POST SEMANÁRIO BRASILEIRO

TEXTO TRADUZIDO DO BRASIL-POST SEMANÁRIO BRASILEIRO

Brasil-Post   Semanário Brasileiro  06.02.1960

Estrêla

Heinrich Uebel na Alemanha

Heinrich Uebel, conhecido pela sua invenção única no campo de instrumentos musicais, sobre o qual a BrasilPost já havia escrito anteriormente, esteve de 25 de julho até novembro do ano passado em na terra de seus antepassados, Alemanha. Ele morou na casa de seu amigo e conterrâneo (alemão-brasileiro), Pastor Hans Wendt, que foi enviado de Estrela no Rio Grande do Sul pelo Kirchliches Aussenamt, da Igreja Evangélica de Frankfurt para trabalhos de científicos para a Pfalz no sudoeste alemão. Pastor Wendt convidou certo número de representantes da imprensa para uma conferência para Waldsee na Pfalz, onde na casa pastoral o Senhor Uebel foi interrogado sobre sua vida e sua arte. Após a conferência da imprensa do dia 10 de agosto a revista de Frankfurt “Bild-Zeitung”, que tem 3 milhões de leitores, no dia 12 de agosto publicou o seguinte: “Para poder conhecer antes de  envelhecer a pátria de seus antepassados, o alemão-brasileiro Heinrich Uebel fez o trajeto de 9000 km da América do Sul para Waldsee. Em sua bagagem uma caixa enorme, que em exame mais detalhado pela aduana na travessia da divisa, como um aparelho  instrumental mamute de fabricação própria, no qual Uebel sabe tocar até 7 instrumentos diferentes ao mesmo tempo (trompete, violoncelo, bandoneão, acordeão, bateria, gaita de boca e piano)”. O jornal “Speyerer Tagespost” escreveu entre outros: “Além da destreza incrível dos dedos e da riqueza da idéia puramente técnica, de dispor os instrumentos de tal modo, que se pode acioná-los ao mesmo tempo, para isto também deve haver uma audição pronunciada e também uma capacidade de concentração, que é difícil de encontrar. Que este fenômeno é possível, nós pudemos observar com nossos próprios olhos. Só com uma vontade de vencer esta concentração um feito modelo destes é possível.” Além destes dois jornais citados outros jornais representados na conferência da imprensa, escreveram sobre o gênio do Senhor Uebel: “Reinpfalz”, “Freiheit”, “Hausfreund”, “Generalanzeiger”. Na Pfalz nosso Homem Orquestra pode mostrar a sua arte em algumas apresentações (noitadas) bem visitadas. Ele também foi convidado a tocar em Festas Populares, assim em Neuhofen, em Ludwigshafen, onde lhe foi oferecido no final da apresentação da terceira noite um ramalhete de flores  mais caras (violeta dos Alpes). Depois de Waldsee e Ludwigshafen, seguiram-se, sempre com o auditório lotado, apresentações em Iggelheim, Rheingönheim, Schifferstadt, Edenkoben e Bockenheim. Bockenheim é a cidade dos melhores vinhos alemães. Aqui Uebel se apresentou na Festa da Uva perante 5000 pessoas e recebeu do prefeito Hirsch, que o havia convidado, um documento de reconhecimento e recomendação. Um documento assim também lhe ofereceu a Paróquia católica em Waldsee, depois de algumas noitadas das quais o lucro foi destinado “Aos povos com fome”.  Um repórter do Südwestfunk veio especialmente a Mainz, para gravar em fita cassete a música de nosso artista alemão-brasileiro e distribuí-la várias vezes para os ouvintes. A televisão Baden-Baden enviou apesar da distância de 100 km uma condução especial para buscar o Senhor Uebel e seus instrumentos. Com isto ele foi visto, ouvido e admirado na televisão por milhões de pessoas. Na cidade de Wiesbaden a Semana do Cinema filmou o fenômeno do Brasil, de modo que agora, devido a muitas cópias, pode ser visto e admirado ao mesmo tempo em centenas de cinemas da Europa e Estados Unidos. Por fim Uebel recebeu um chamado da Televisão Köln para participar de um grande programa no Teatro Apollo. Ele foi comemorado aqui como o único brasileiro com estes sucessos extraordinários em solo alemão. Nas duas televisões – Baden-Baden e Köln – a bandeira brasileira foi hasteada em honra do Brasil e de seu artista. Também o Partido Social Democrata Alemão não fez por menos e fez uma homenagem ao Senhor Uebel: Mandou imprimir folhetos com uma descrição da vida e da arte e distribuiu-os aos vários grupos do partido. Assim, além do povo, também funcionários públicos, professores, artistas, políticos, religiosos, etc. se interessaram pela arte única de um alemão-brasileiro.  Encorajado pelos enormes sucessos, o Senhor Uebel espera poder fazer uma segunda viagem para a Alemanha, onde pensa em transformar sua arte em uma empresa. Para isto precisa, assim diz ele, de uma pessoa, que como seu parceiro comercial agende salões bons e grandes com grande venda de ingressos.    (Alfred Rex)

 


Documento sem título