• Email atendimento@ihu.org.br
  1. O HOMEM ORQUESTRA BRASILEIRO H. UEBEL APRESENTOU-SE A IMPRENSA

O HOMEM ORQUESTRA BRASILEIRO H. UEBEL APRESENTOU-SE A IMPRENSA

TEXTO TRADUZIDO DO JORNAL ALEMÃO, QUINTA-FEIRA,13 DE AGOSTO DE 1959.

Um aparelho de música estranho, numa caixa vermelha .
O Homem Orquestra brasileiro H.Uebel apresentou-se à imprensa.
No pequeno e acolhedor salão da Comunidade Protestante de Waldsee estava montado um estranho aparelho musical num encaixe vermelho. Representantes dos jornais da Pfalz e outros se encontraram para conhecer o “Homem Orquestra” brasileiro (a Renânia, Rheinpfalz, já relatou repetidas vezes sobre ele) e seu aparelho milagroso.
Apresentado pelo seu compatriota Pastor Wendt, com a vivacidade de um manager, o humilde cinqüentenário, com pronúncia do dialeto Hunsrück herdado de seus antepassados, explica o complicado mecanismo do aparelho idealizado quando estava enfermo durante anos. O aparelho com o seu instrumentário preenche um som de uma pequena orquestra e em nove combinações diferentes soam de uma vez só 7 instrumentos dos 10 que tem à disposição. Eles todos foram modificados especialmente para este fim.
Seis gaitas de boca estão, por exemplo, enfileiradas em um rolo, para poder fazer a mudança de tonalidade com mais rapidez, construído especialmente para este aparelho também foi montado o piano de pé para a melodia, no qual se consegue tocar todas as combinações de acordes em menor e maior, então uma flauta adaptada para ser tocado com uma mão só, e o trompete que foi modificado para poder ser usado de várias maneiras, acordeão, bandoneon e bateria completam de modo útil o instrumentário.
Antes de Uebel iniciar com sua música, ele ainda testa as combinações, tira os sapatos para poder ter a devida sensibilidade para as várias funções. Logo o primeiro número, uma marcha brasileira mostra uma harmonia de sons encantadora, na qual o acordeão e o trompete, tocados com a mão, assumem o comando, enquanto que os baixos do piano (tocado com o pé), do baixo do acordeão e da bateria são tocados com o dedão do pé. A mudança de acordes maior e menor é tarefa do joelho, os pratos são acionados com a parte superior do pé. A gente logo percebe quanta concentração e conhecimento artístico estão por trás da apresentação musical, quanta aplicação e força de vontade foram necessários, para poder superar tudo isto sem dificuldades.
Com espanto os ouvintes notaram, que este primeiro número musical não apresentava a combinação mais difícil. Acordeão e trompete com sons que preenchem a melodia são relativamente fáceis de combinar. Muito mais difícil já fica, quando acrescenta a flauta, ou também quando são combinados violino e trompete, onde a válvula de ar do trompete é dirigido por um mecanismo que a mão esquerda dirige.
Nos 24 anos em que o agricultor único dedicou para desenvolver seu aparelho orquestra, ele conseguiu formar um repertório considerável. Música popular da Argentina e do Brasil são partes principais, mas também músicas folclóricas alemãs e marchinhas não faltam, como por exemplo “Alte Kameraden” e os sucessos “Heimweh” e “Heimatlos”, números musicais que sempre são ouvidos com prazer pelos imigrantes alemães mais idosos e que ainda falam a língua alemã.
Sua permanência prevista de um ano na Alemanha (que Uebel agora pisou pela primeira vez em sua vida), o versátil Homem Orquestra quer aproveitar para viagem de concertos (uma agência artística de Mannheim já mostrou interesse). Além disso, ele quer contatar com técnicos para melhorar e conseguir novas possibilidades de combinações dos seus instrumentos. Já existem contatos com o fabricante de órgãos Sattel. Uma grande agência automobilística se colocou à disposição para pensar em algo especializado para facilitar o transporte do aparelho na Kombi.


Documento sem título